Espera.

Hoje, anoiteceu.
Arrumei-me, como se fosse sair.
Não que eu fosse mesmo. Não que tivesse com quem sair.
Não que eu esperasse
Que alguém me ligasse, convidasse
mesmo pra tomar um sorvete sequer,
só pra dividir a noite.

Mas fiquei pronto.
Vez ou outra eu olhava pela janela,
E através dela,
via o movimento lá fora.
Olhava esperançoso.
Não que eu aguardasse alguém.
Pois não chegaria ninguém lá fora e
esperaria por mim.

Mas estava pronto.
Coloquei uma música pra tocar, ativei o repeat.
Olhava ansioso o relógio de bolso, contava os minutos.
E quando o tempo parecia estar passando muito devagar,
conferia no celular.
Mas não tinha nenhuma mensagem ou ligação por chegar.
Pois sei que não havia ninguém pra vir.

Ainda assim, permaneci pronto.
E assim fiquei até dormir.
O que sonhei?
Só lembro que em algum lugar, eu esperava…

Anúncios

Uma resposta

  1. Natasha

    Uma espera constante, uma parte da vida.

    agosto 6, 2010 às 22:08

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s