Arquivo para setembro, 2010

Sou mais quando Somos.

Se algum dia ‘cê quiser viajar por aí
e a passagem ser só de ida,
quero estar nem que seja na bagagem –
porque já não nos cabe mais despedidas.
Quero estar – nem que seja pra ficar no canto,
e que meu canto seja só na hora de você deitar.

E já nem procuro mais tantas razões pra justificar o meu querer.
Porque completo mesmo é quando somos
sou é tão pouco que nem me contento mais.

Mais Sou Eu quando Somos Nós.
Mais Estou quando Estamos.

Porque pra sempre quero poder cantar:
– Por onde for quero ser seu par.

(Lennon Uriel)


Amador, ama-dor.

Como a vida dá trabalho! E nós, ah, como ainda somos amadores!
E eu, que sou tão amador, que ama dor de viver.
Amador de ti, de nós.
Que sabe a dor de te amar e não poder ser mais que amador.

(Lennon Uriel)