Arquivo para abril, 2011

De Fé.

Enquanto vida parece uma enorme caixa de areia
e cada passo é um desafio sem igual.
Enquanto o céu fecha cada vez mais e o sofrimento sangra os olhos.
Enquanto a alegria parece um privilégio de poucos,
só mais um produto muito caro no mercado mantido por ninguém sabe quem,
e a dor é distribuída feito panfleto em época de eleição.
Enquanto parece não ter sentido continuar,
e a possibilidade de mudança se esvanece nas mãos.
Enquanto lágrimas lavam calçadas,
escorrendo pelas ruas, lustrando os carros importados que por nela desfilam.

Alguns se importam.
Alguns choram.
Alguns mantem o olhar firme.
Alguns se reúnem pra cantar, mesmo em rumo ao sacrífico eminente.
Alguns demonstram coragem.

Que sejamos nós a chorar, a se importar, a se manter firme.
Que sejam as nossas vozes que carreguem a transformação
e o desarme de todos os corações.
Que sejam as nossas bocas a pronunciar ‘amor’.

Anúncios